quarta-feira, 21 de julho de 2021

Projeto Inspirados - Victor Di Stasio

Nada me trava, pensa quem vê
Nada me toca no fundo da alma
Mentira que dizem, eles que digam
Por fora é vista, por dentro é fogo 

Jornada que sigo, avante que penso
Nada que me aprisione por dentro
Nada que trave o que acredito
O que duvido
Sigo o que julgo minha alçada 

E o passo é forte, mas vulnerável 
O caminho? O que eu faço 
Sorriso que parece sorte
Força, forma, norte

Mas eles não sabem.

Pessoal


E aí, gostaram da participação de hoje? 
Obrigada, Victor, pela confiança!

O projeto Inspirados começou no Instagram e agora segue por aqui. Mais textos na hashtag #inspiradostxt e/ou sob os marcadores deste site.




domingo, 18 de julho de 2021

Resenha O Roubo - Paola Aleksandra


Ler O Roubo foi uma experiência que abriu portas para os romances de época. Antes até me interessava, mas foi depois dessa história que a coisa toda foi ganhando um espaço. Na verdade, foi o clique que faltava...

Ocorre que no conto, Paola, conhecida pelo blog literário Livros e Fuxicos, aborda a saga de uma pirata para roubar uma máscara que dizem amaldiçoada. E não apenas aborda como leva o leitor às origens dela, de seu pai, de seus costumes e objetivos, tornando o leitor um verdadeiro parceiro de viagem. Assim, sabemos a importância deste objeto, ainda que, mulher, sob um baile de Carnaval e de época, tudo seja um tanto mais complicado. 

Bom, há uma saída. E é rumo a isso que vemos a história de Joana Lancaster cruzar a de um rapaz de mal agouro. Sim, pois precisa casar-se, mas não quer levar para si a fama da própria família, tramando então sua emancipação. Gente, impossível não querer ler mais do que o espaço de um conto. Dá vontade de ler uns dois livros em sequência! Ao menos para mim.

Gostei da narrativa e da pesquisa óbvia e bem feita pela autora. Com isso, pude mergulhar na História. 


E aí, conhece este e-book?
Conte se já tiver lido!


quinta-feira, 15 de julho de 2021

Lugares que Li - Trilogia O Senhor dos Anéis

 E se eu começar dizendo que nada menos que 340 mil visitantes estiveram na cidade fictícia criada para as gravações de O Senhor dos Anéis e O Hobbit? Pois é! Turismo literário é isso, é quando determinado local, apropriado por conta do sucesso de uma produção literária, ganha destaque e interesse por visitas. Basicamente, a vontade de viajar para locais criados ou adaptados a partir dos livros e suas versões no cinema. 

>> Com a trilogia Senhor dos Anéis, a Nova Zelândia ganhou muito destaque e foi imediato o interesse pelas locações. Afinal, tão fantasioso quanto no livro foi a adaptação às telonas.

Para começar, vamos de ambientação: Waikato, Nova Zelândia

Matamata: A cidade interiorana foi a escolhida para a construção, literalmente, da cidade por onde passariam Gandalf e Frodo, a cidade dos hobbits. Conta com nada menos que a casa de Bilbo, a Taverna, que hoje é frequentada por turistas e gera renda local e mais 43 casas. Isso mesmo! O espaço, que na verdade é da família Alexander, foi totalmente apropriado (pensando aqui no quanto receberam para ceder o uso). Hoje, há inclusive um tour guiado pelo local. 


 
Waiau, Wellington: Aqui encontramos as locações que aparecem bem no primeiro filme de Senhor dos Anéis, A Sociedade do Anel. No filme, o rio Waiau chama-se Anduim e o espaço logo tornou-se conhecido. Lá também encontramos o abismo de Helm e Minas Tirith. 

>> Vale lembrar que Isengard, a torre de Saruman em Duas Torres, não existe, mas o local aonde se criou a imagem para o filme é real e pode ser visitado nos mesmos arredores. 

Parque Nacional Tongariro: Mordor é aqui. Uma reserva, na verdade, porém serviu de cenário e fez muito sucesso justamente pela jornada de Frodo e Sam até a Montanha da Perdição. O local tem vulcões ativos e picos nevados. Existe até uma Travessia de Tongariro por lá, imagina fazer logo esse tour, a travessia dos personagens principais? 



Hoje, a trilogia já não leva tantos turistas ao local, mas a Nova Zelândia contou com um trabalho governamental tão bem feito que é quase impossível que um fã da saga de Frodo não saiba que foi neste local que as filmagens aconteceram. O governo investiu tanto que alguns cenários foram construídos do nada e não apropriados, como comentei no início do post com a fazenda dos Alexander. E turismo é isso: construção viável de produtos. Com isso, o país ganhou projeção e novos empregos surgiram, além de terem instigado milhares de fãs a fazerem suas primeiras viagens. 

Quem disse que livro não é meio de transporte, não é mesmo? 

E aí, me contem: vocês fariam um tour de aventura por esses locais? 

Aqui, uma lista de nomenclaturas: você descobre cada espaço/condado/povoado da trilogia.

Projeto Inspirados - Rhaissa Mateus


Está preso no olhar, no jeito de ser. Na vida que sai de cada poro, na história que crio a cada passo. E sou grande, mas disfarço. Não faço questões que para tantos se discutem. Sou apenas de mim enquanto posso, descobrindo o mundo enquanto ando. Enquanto puxo o ar mais puro.

Enquanto sorrio para cima, busco fé em cada risco, me arrisco e me jogo na mesma intensidade. Gente, sou eu, de verdade, não sei criar figuras para tratar meus próprios anseios. Não sei ser de mentira, ainda que em meios. Tudo o que sei é que sou espelho, que me conecto ao meu: força nos cabelos, na peruca, na minha melhor versão. Força que luta por mim, me ensina as curvas.

Enquanto sigo, rio no canto da boca.

Eu

•Gostou? Envie sua foto por e-mail e receba um texto ou uma poesia!

Este é um projeto que começou no Instagram. Vejam mais na hashtag #inspiradostxt.