domingo, 27 de junho de 2021

Lugares que Li - Crepúsculo

👉🏻 Crepúsculo - A Saga


No post anterior, falamos de uma saga envolvendo bruxos. Agora, vamos pelo universo dos vampiros de Crepúsculo, literalmente a história que garantiu, no mundo inteiro, um boom de publicações sob o tema - e um súbito interesse na literatura como um todo.


Sabemos que a franquia foi mais um grande sucesso literário. Por conta do lançamento de Crepúsculo, não só a temática ganhou visibilidade como o interesse pelas locações aumentou - todos queriam conhecer os locais por onde viviam Edward e seu clã. Vamos começar?


1) Península Olympic, Washington: é a região mais chuvosa do país. Portanto, a melhor para a estada dos vampiros, não é mesmo? Foi assim que a autora da série pensou, foi assim que a diretora buscou sua referência, na isolada cidade de Forks. E foi aqui que a ligação entre o turismo e os vampiros começou. Afinal, quem não gostaria de visitar a famosa floresta em que Bella e Edward se reconhecem? 


>> A Hoh Rainforest é um local turístico, parte da Península, utilizado para as filmagens. Não há trilhas difíceis e conta com várias. Obviamente, é o ponto mais conhecido. 



2) Forks High School, Livraria Thunderbird & Whale, Casa dos Cullen, Estúdio de Dança, arredores de Oregon: isso mesmo, vários são os locais usados para as filmagens que, na verdade, apesar de retratados nas filmagens como Forks, estão fisicamente em outros pontos (em St. Hellens, por exemplo). Mais informações abaixo.

>> O Colégio de Forks ficou marcado tanto pelo espaço do estacionamento quanto pelas salas de aula. Hoje, mantém loja de presentes e produtos oficiais da saga Crepúsculo.  




>> Já a livraria, Thunderbird and Whale, famosa por ter recebido Bella em pesquisa sobre os Quileutes, na verdade, era um escritório de advocacia. Provamos aqui a força que o turismo tem: apropriaram um local completamente do zero para a adaptação. É ou não sinal de que um livro cria viajantes?



>> Outros pontos, como a cafeteria em que Bella e o pai fazem refeições também foi procurado. Tanto o Carver Café, por exemplo, quanto a Casa dos Cullen, que na verdade é uma pousada linda local, ganharam projeção praticamente dobrada após o sucesso do filme. Vale lembrar que até mesmo o estúdio de dança (lembram, cenas finais da gravação?) ganhou mais alunos.





3) Hospital de Forks: agora é fácil, vai! Quem não queria estar por perto do ser mais importante daquele clã, senhor-nada-senhor médico, Carslile? Pois bem. Aqui temos mais um exemplo ideal de apropriação local. O hospital que serviu de locação, assim como os restaurantes, Casa da Bella (que é realmente uma casa e não recebe visitas), existe. 

>> O funcionamento do local persiste, apesar de contar com visitantes em sua placa até hoje.



4) Bella Italia, Port Angeles: que tal um ravioli de cogumelos? Quem se lembra da ocasião em que os pombinhos, vampiro e humana, colocam a humana para se alimentar, vai reconhecer de cara. O restaurante Bella Italia carrega lembranças até hoje pelo sucesso de seus visitantes de Crepúsculo. O menu segue acessível e batizado, no caso do ravioli, com o nome de Bella (outros restaurantes também já fizeram esta homenagem). 



FIM

E então... deu para ter ideia da dimensão que foi o sucesso dessa saga? Só no primeiro filme o investimento foi tão grande, e por conta do sucesso do livro, que foi tão grande, que todos os olhares focaram em Forks, aquela cidade real que foi cenário e rapidamente virou alvo de buscas. A partir do momento em que alguém dispôs dinheiro, deslocamento e interesse, estava feito o turista. Ótimo para os estabelecimentos, que hoje ganham mais referências, ótimo para a cidade, ótimo para os fãs, que trazem memórias afetivas. 

Me diz aqui... quem toparia um tour completo? Eu, certamente, sim. 

Fonte: Ny&About, Google 







quinta-feira, 24 de junho de 2021

Lugares que Li - Harry Potter

👉🏻 Harry Potter e a Pedra Filosofal - SAGA HP

Toda a franquia foi extremamente bem sucedida. Disso, nós sabemos. Mas fica o detalhe: vocês sabem o quanto Londres lucrou com o boom desse lançamento? O total de turistas envolvidos e os marcos que a história de J.K.Maravilhosa.Rowling deixou na cidade?

Venham cá:

Desde o lançamento do primeiro livro, milhões de turistas visitaram Londres. Boa parte deles, por causa dos pontos turísticos agora conhecidos (se não totalmente conhecidos) pelo impacto dos livros (e consequentemente, dos filmes). Vamos a alguns? <3

1) Castelo de Alnwick, Inglaterra: aqui foi onde, no filme, Harry aprendeu a voar, com a icônica Madame Hooch (área externa)

>> O castelo foi erguido em combate às invasões escocesas, em 1906. Já foi locação de outras gravações, mas turistas ainda escolhem visitar e fotografar o local porque HP foi retratado ali.


2) Ponte do Milênio, Londres: serviu de locação para a gravação de HP e o Enigma do Príncipe, onde, via computação gráfica, foi totalmente destruída pelos comensais da morte. Quem mais ficou tenso nessa cena? 🤐

>> A ponte foi construída em 2000 e cruza o Rio Tâmisa.


3) Christ Church, Oxford: apesar de não ter sido filmado exatamente aqui, o grande salão do refeitório da Christ Church serviu de inspiração ao Grande Salão de Hogwarts. 

Na verdade, outras áreas da Universidade Oxford foram aproveitadas nas filmagens (escadaria ícone da Bodley Tower, áreas externas, claustros, a Biblioteca Bodleian e até mesmo a enfermaria - lembram do Rony em Prisioneiro de Azkaban?) 

>> Hoje, vende-se tours para quem quiser conhecer, além das dependências da universidade, os espaços usados para a filmagem.


4) Estação de King's Cross, Londres: local mais emblemático apropriado pelo turismo após os livros, é aqui que fixamos o marco do sucesso de HP - a estação 9 ¾! É aqui que Harry e seus amigos fazem a passagem do mundo dos trouxas para o mágico, seguindo para mais um ano de Hogwarts. 🎈

>> O local é atrativo até hoje, com sua indicação enorme à plataforma de Harry. Foi aberto em 1852. 

•A autora escolheu este local em sua narrativa porque foi aqui que seus pais se conheceram, em um trem para a Escócia.


FIM 

E aí... viajariam para estes lugares?
Conheciam a obra de J.K.Rowling?

O turismo a partir dos filmes é mais evidente que o dos livros porque visualizamos melhor quando encontramos as locações. Vale dizer que nos livros, as descrições são ainda mais reais. Graças à saga, temos esta lista. Graças à leitura, pessoas se deslocaram e tornaram possíveis empregos, renda e mais leitores em formação. Isso é #turismo 😍

Imagens: Google

Postagens feitas na fanpage Lugares que Li, do Facebook. Não deixem de acompanhar! 

terça-feira, 22 de junho de 2021

Resenha Prímulas em Meio à Guerra - Laura Assis

Prímulas são flores e, tal qual Lauren, precisam ser cultivadas e cuidadas. Bom, eis a essência da personagem principal de Prímulas em Meio à Guerra: jovem, casando-se, uma vida para formar, criar, crescer e gerar frutos.

Um romance de época que a apresenta da maneira correta. É encantadora, de história forte, de caminho esperado e de passos firmes. No entanto, de destino incerto. Pois é com este começo que Laura narra sua jornada. De protagonista simples e obediente, Lauren se revela imponente e decidida, sem medo algum de lutar pelo amor de um outro homem e/ou tornar possível o sonho de uma vida em família - não sem antes enfrentar o marido, a sociedade, seus próprios medos e limites. 


E a ligação que se forma no final? E a conexão entre ela e seu amor, e os devaneios, as visões, os sonhos constantes trazendo dúvidas e ao mesmo tempo sinais? E Karen, ajudando-a? O que seria de Lauren se seus empregados não fossem, na verdade, amigos capazes de enxergar a tirania de seu esposo? 


Quando comecei a ler este livro, esperei um romance de época. Quando terminei, entendi como atemporal. Isso porque ainda hoje a mulher é vista por alguns como apenas disponível, como objeto, como troféu, dentre outras situações que a excluem da própria capacidade. Laura Assis escreveu e criou laços entre o leitor e os personagens que a gente nem sente. Aos poucos, não sem intensidade, mergulhamos não só nesses universos como na história em si, uma vez que tanto os cenários quanto a narrativa obedecem aos acontecimentos reais do século proposto. 


É delicioso ler, é angustiante acompanhar a saga romântica da personagem e é de alívio a sensação ao final. Vale a leitura e a releitura, vale dar de presente e/ou uma tarde inteira de viagem. 


Leiamos mais nacionais...


Ao Clube de Leitura da Editor Flyve, obrigada, foi maravilhoso poder começar no Kindle e terminar a leitura no físico. Guardo com carinho esta apresentação. 



Projeto Inspirados - Lilian Martins

Luz pelo caminho, tua luz que me inebria... tua história infinita sendo escrita dia a dia. Teu sorriso, tua voz, criança inteira em mim que se revela brincando. Do teu lado, todo o encanto de ser. E contribuindo ao futuro, todas as nossas descobertas.

Contigo estou completa, impossível negar-te a vida. As estradas percorridas, o que tento te ensinar... o que vivo ali, quietinha e leve, te observando conquistar no mundo. E que profundo o que sinto desde sempre, que não cabe no peito, não cabe direito, me falta até voz...

Que dos nós de tudo sejamos nós os que desatam. E que andemos juntos até o sempre, já que o nunca, pra você, nunca houve.

Amor

•Gostou? Envie uma foto para carolinagamaescritora@outlook.com e aguarde seu texto ou poesia!

Este é um projeto iniciado no Instagram, sob a hashtag #inspiradostxt.

sexta-feira, 18 de junho de 2021

Projeto Inspirados - Mari, blog Não Vire a Página


O que eu quero está muito além do que consigo entender sozinha. O que busco, a linha que rabisco, tem mais voltas e voltas so que eu aos meus giros cantando. Tudo bem, no entanto. Eu faço piadas inteligentes porque caibo em questões acima de toda suspeita. 

Sou menina direita, paisagem formada. Foragida de palavras, me leio nos livros que mais me impactam. Sou doutrina do tempo, merecedora de aplausos. Sou apenas quem tento ser, a quem descubro a cada dia: alguém que, de vez em quando, chora só para ter o que drenar.

O que quero hoje, encontro no ar. Na leveza de ser e de tocar, na grandeza de sentir e admirar. Boas referências, boas leituras, é isso o que pretendo guardar. 

Se posso escolher ser diferente, viro o meu espelho e sigo igual.

•Gostou? Envie uma foto para o e-mail carolinagamaescritora@hotmail.com e aguarde o seu post!

Mari ♡, minha blogueira parceira, parabéns pelo seu aniversário!!!

quarta-feira, 16 de junho de 2021

Texto Quando Vem

Começo a achar que o mundo me entende: muita coisa passa, mas o que marca geralmente também dói. E estava eu pensando acerca de relações - as tão queridas e temidas relações amorosas. 

É possível que se ame de forma limpa? É possível que se passe por um amor, um já dito amor sem saber, sem dor alguma? 

Não parto da ideia de que nada nos machuca. Ninguém é perfeito e pequenas colisões acontecem. Mas, pensa comigo, até que ponto é preciso considerar aprendizado não sair ileso? Até que ponto é considerável que aquela relação sem atritos é perfeita aos olhos dos demais? Não tem uns parâmetros errados aí, não?

Estava indo para o trabalho quando uma foto mental me atingiu com força: uma árvore, no Parque Lage, com duas iniciais, minha e de um relacionamento passado que gera este post. Rapaz, imaginei na hora o meu próximo amor ao lado dela, eu de plateia e um novo coração talhado na pedrinha, meu e dele. E eu agradeci no pensamento. Eu agradeci por ter me ensinado muito sobre mim, sobretudo relacionamentos unilaterais - ao menos, foi o que vivi e senti naquele tempo. Ainda assim, questionamento: foi garantia de que erros não ocorrerão? 
Foi garantia de que na fantasia de um amor perfeito caberá uma pessoa melhor? E a pessoa errada? Errou por quê?

Me pego pensando na bagagem que a gente carrega de um para o outro, como se pudesse transportar só as partículas boas. Colisões, essas vão sempre acontecer. E eu começo a entender que o mundo me entende porque somos a mesma matéria. A mesma coisa, a mesma carga de erros e acertos, nem sempre os bons do cenário, nem sempre os maus. 

O que define as minhas certezas, na verdade, define os meus "será?". 

Imagem: Personare

terça-feira, 15 de junho de 2021

Resenha As Cores do Coração - Dani Assis

 

Ter lido um livro como As Cores do Coração me trouxe uma visão diferente das coisas. Isso porque eu nunca havia considerado a doação de órgãos antes, nem mesmo lido nada sobre o tema em um livro de ficção. Este, escrito por Dani Assis, é extremamente certeiro e recomendável. Publicado pela Harlequin, chegou até mim pelo clube Entre Romances, do blog Livros e Fuxicos (o qual acompanho com gosto).

A história é inspiradora, de jornada única: 

Antonella e Enrico eram muito apaixonados, até que um perdeu o outro. E até que a personagem principal entendesse - buscasse entender - que a doação de seus órgãos não o tirava das lembranças dela ou mesmo fazia pouco de sua essência quando vivo, viver fora difícil. E é a partir deste ponto que a autora nos encaminha ao universo dela, mergulhando em tudo o que pensa e sente.

Sabemos mais sobre o trabalho, que logo é substituído por um no centro Salute de apoio aos transplantados, sobre as expectativas, a amizade com Chiara e tudo o que a cerca. Claro, até que um novo paciente acontece. Até que este passa a sonhar com ela por razões que apenas ele entende e até que a história dos dois, quiçá três, se conecta de forma a ser impossível voltar atrás.

Envolvente, repleta de referências à arte e recheada de sentimentos. A história de Antonella se esbarra à minha no quesito força, entendimento sobre algo que é maior e que realmente nos possibilita enxergar diferente e fazer diferente, sobretudo quando não há mais o medo de sermos felizes. 

Dani Assis foi a minha descoberta, este ano. Ao menos até agora. 

E vocês... já leram este livro?

segunda-feira, 14 de junho de 2021

Projeto Inspirados - Tiago Rosa

Sou parte do que crio, mas me cria o que me exige. É que sou força e foco sozinho, sou existência contestada e comprovadamente feliz. Mesmo nas tristezas, mesmo nas mudanças. 


Nas minhas andanças, promovo escolhas. Ecológico e errado, correto e urbano. Em tudo me encontro porque me misturo ao céu e ao sol. Não tenho tantos medos que me segurem, nem tanta certeza que me empine o nariz. 

Simples, feliz. Apreciando a arte da vida porque é isso o que ela faz: vive. E de mim, faz aprendiz. Sempre tentando, crescendo, munindo.
E ai daquele que duvidar de mim sorrindo. Comigo, no choro ou no riso, sou pura verdade.

•Gostou? Envie sua foto para carolinagamaescritora@gmail.com e participe! 

Este projeto começou no Instagram. Confiram a hashtag #inspiradostxt.